PRAIA DE MAUÁ
 
 

 Conheça a Praia de Mauá
 Turismo e Eventos
 Álbum Utilidades Livro de Visitas Classiconectados Saiba Mais Downloads

 
 
ESPAÇO CULTURAL
 
 

 Barão de Mauá 1ª Ferrovia do Brasil

 Paiol

 Igrejas Históricas

 Outros Fotos Históricas

 Curiosidades

 

 
 

O Velho Paiol de Pólvora e Munição

     Conheça a História das Ruínas do Paiol de Pólvora construído no morro do Calundú em Guia de Pacobaíba com a principal finalidade: proteger e armazenar nossa munição durante o período da Guerra do Paraguai - maior conflito armado internacional ocorrido na América do Sul. Estendeu-se de dezembro de 1864 a março de 1870. É também chamada Guerra da Tríplice Aliança (Guerra de la Triple Alianza) na Argentina e Uruguai e de Guerra Grande, no Paraguai.

 

    


     A construção do velho Paiol situa-se no alto de pequena elevação, em posição de dominância do Rio Estrela e de área plana em Guia de Pacobaíba (Mauá).

     Em 1826, o governo comprou um terreno próximo ao Porto Estrela, à margem do Rio do mesmo nome, no lugar chamado Calundú.

     De planta regular, de aproximadamente 370m, em alvenaria de pedra, apresenta um único acesso, a meio de sua fachada de maior dimensão, encimado por um óculo, que se repete as fachadas laterais. Internamente há indícios de que havia um segundo pavimento.

    O velho Paiol participou da Guerra do Paraguai estando em vigília, ás margens do Rio Estrela desde o século passado guardando armamentos e munições para que nossos heróis defendessem nossa soberania. Nele lutaram Tamandaré e seus comandados, Marcílio Dias, que perdeu um braço e retornou a luta.

    Hoje o velho Paiol guarda apenas recordações de um passado distante...

Eugênio Sciammarella - Jornal Opção


 

Frente do Paiol - Seu único acesso.

 

 

Lateral do Paiol

 

 

Vista Paiol - Morro do Calundú. Abaixo se vê o Rio Estrela.

 

 

Frente do Paiol

 


Situação e Ambiência

     A construção situa-se no alto de pequena elevação, em posição de dominância do Rio Estrela e da área plana. 

Descrição

     Construção de planta retangular, de aproximadamente 370m, em alvenaria de pedra. Apresenta um único acesso, a meio de sua fachada de maior dimensão, encimado por um óculo, que se repete nas fachadas laterais. Os cunhais, bem marcados, e de duas pilastras entaladas modelam as fachadas mais longas. A primitiva cobertura, provavelmente em 4 águas, apoiava-se em fortes cimalhas, ainda existentes. Internamente, há indícios de que havia um segundo pavimento.

Histórico

     Em 1826 o governo comprou um terreno próximo ao Porto Estrela, à margem do rio Estrela, no lugar chamado Calundu. Lá foi construído estrategicamente o Paiol de pólvora.


Fotos antigas - 1982   

 

 

Coluna em detalhe

Fachada principal

Fachada principal

Lateral

 


 

Solano López

 

 

 

 

     

     O Velho Paiol fascina pela sua arquitetura. O relevo onde está situado foi escolhido porque de lá é fácil visualizar tudo a sua volta, dificultando a ação de inimigos.

     Quando o visitante se depara com a arquitetura de suas paredes laterais,  a imaginação voa para a época da guerra do Paraguai, onde o ambicioso Solano López (ditador do Paraguai) queria apossar-se de nossas terras para que o Paraguai tivesse saída para o oceano Atlântico.

     A chegada ao Paiol é de difícil acesso, mas vale a pena visitá-lo...

Nilson Jr.

 


Copyright © 2002 - Nilbyte® WebDesign - Termos legais
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação,

eletrônico ou impresso, sem autorização de NILBYTE® Corporation.